01 maio 2011

CORDEL, a palavra encantada

E a filha direto pergunta:
Mamãe, diga, o que é Cordel?
Na embalada a genitora diz,
não sei tirando resposta de onde:

Dizem que muito se vai nessa estrada
num varal penduravam palavras
palavras de gente falante,
de gente apressada

De gente que lutava, de gente que viajava
De gente empolgante,
com muito ou sem nada.
Gente que falava palavra encantada...

Os versos acima surgiram quando estava estudando com minha filha neste domingo e nos deparamos com a encantadora literatura de cordel. Foi um momento rico e lúdico, cheio de históricos e história. Passamos por livros, textos soltos, cordelinhos,vídeo, sites e etc. E que universo riquíssimo esse. E as respostas foram aparecendo:

"O cordel veio da Europa
no fim do século passado
no Nordeste do Brasil
ele foi bem implantado
e os poetas conseguiram
com ele bom resultado"

Como nos conta com os versos acima o poeta José Francisco Borges, o Cordel, esse gênero tão brasileiro e popular não é uma invenção nossa.
Essa literatura leva o nome de Cordel porque os folhetos ficavam pendurados em cordões nos locais de venda. E veio trazida de Portugal. Aqui, chegou junto com os colonos e encontrou um solo fértil. Tanto que até hoje é uma tradição forte e viva, principalmente no Nordeste do país.

Mas, na verdade, o cordel existe há muito tempo e acompanhava os povos greco-romanos, fenícios, cartagineses, saxões e etc. E conta-se que foi levado à Penísula Ibérica pelos Espanhóis e Portugueses lá pelo século XVI.

Os temas do Cordel estavam ligados à divulgação de histórias muito antigas, que vinham encantando os povos há séculos e eram transmitidas oralmente de uma geração a outra. Uma delas é a história de "Carlos Magno e os Doze Pares de França". Já no Brasil, o cordel passou também a retratar os acontecimentos recentes. Quando não haviam meios de comunicação como jornais, rádio ou televisão, a poesia popular ocupou esse espaço na divulgação de fatos que despertavam o interesse do povo. Hoje é pura cultura: crença popular, poesia, política, romance, cantigas e entretenimento.

Sabe o que descobrimos? Que de tão importante que é a contribuição cultural da literatura de cordel, em 07 de setembro de 1988 foi fundada a Academia Brasileira de Literatura de Cordel.

"Da inspiração mais pura
no mais luminoso dia,
porque Cordel é cultura
nasceu nossa Academia
o céu da literatura,
a casa da poesia"
- Trecho do hino da ABLC -

Quer aprender mais sobre a Literatura de Cordel? Acesse o título deste post e faça uma visita à Academia. Lá clique na bela antiga máquina de escrever e veja as mais variadas modalidades de como elaborar um cordel. Inspire-se e faço o seu! Tenho certeza que vai ser gostoso e divertido.

Deixo vocês com o Cordel em vídeo - A Árvore do Dinheiro




Fonte de algumas informações pontuais: ABLC, textos educativos e vídeo do Youtube.

5 comentários:

Diario de uma Paulistana disse...

Que bonito!
Acho o Cordel na sua simplicidade uma literatura tão rica.
Acredito muito na beleza das coisas simples, em tudo.
beijos, Naná.

Naná Martins disse...

A simplicidade torna a vida melhor e mais bonita. Beijocas e obrigada, Chris! : ))

Nilza Aparecida disse...

Que lindo, Naná! Tenho um cordel publicado em forma de livro, mas este, com animação, trilha sonora e sotaque apropriado tem mesmo o sabor dos bons cordéis. Uau!!! Amei.

Naná Martins disse...

Oi, Nilza!
Que maravilha, hein?
Qual é o nome da sua obra? Mande para que possa comentar e postar aqui também.
Quero conhecer!
O vídeo é uma delícia. Por isso, não tive como resistir. Tive que compartilhar. Temos que divulgar tudo que é bom!
Beijocas, obrigada pelo carinho e comentário.

Mariana Lys Brandão Costa disse...

como eu faço um cordel nana martins porque eu tenho que fazer um cordel da sala de aula para sabado vou apresentar